Tempos livres

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

«Te Deum»...

«Te Deum»

Nós vos louvamos, ó Deus,
nós vos bendizemos, Senhor.
Toda a terra vos adora,
Pai eterno e omnipotente.

Os Anjos, os Céus e todas as Potestades,
os Querubins e os Serafins vos aclamam sem cessar:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo,
o céu e a terra proclamam a vossa glória.

O coro glorioso dos Apóstolos,
a falange venerável dos Profetas,
o exército resplandecente dos Mártires
cantam os vossos louvores.

A santa Igreja anuncia por toda a terra
a glória do vosso nome:
Deus de infinita majestade,
Pai, Filho e Espírito Santo.

Senhor Jesus Cristo, Rei da Glória,
Filho do Eterno Pai,
para salvar o homem, tomastes a condição humana
no seio da Virgem Maria.

Vós despedaçastes as cadeias da morte
e abristes as portas do Céu.
Vós estais sentado à direita de Deus, na glória do Pai,
e de novo haveis de vir para julgar os vivos e os mortos.

Socorrei os vossos servos, Senhor,
que remistes com o vosso Sangue precioso;
e recebei-os na luz da glória,
na assembleia dos vossos Santos.

Salvai o vosso povo, Senhor,
e abençoai a vossa herança;
sede o seu pastor e guia através dos tempos
e conduzi-os às fontes da vida eterna.

Nós vos bendiremos todos os dias da nossa vida
e louvaremos para sempre o vosso nome.
Dignai-vos, Senhor, neste dia, livrar-nos do pecado.
Tende piedade de nós, Senhor, tende piedade de nós.

Desça sobre nós a vossa misericórdia,
porque em vós esperamos.
Em vós espero, meu Deus,
não serei confundido eternamente.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Sagrada Família

A Igreja apresenta-nos a Festa da Sagrada Família, dentro da Oitava do Natal, propondo-nos uma reflexão sobre o papel da família nos nossos dias. Jesus sendo Deus também necessitou de ter uma família que o amasse, que o protegesse, que o ensinasse. Só assim faz sentido a família, pai, mãe e filho(s), o pai que guarda, a mãe que ensina, o filho que aprende. A família é a pedra basilar da sociedade. Nela se cultivam os valores que fazem de nós homens e mulheres e nos ajudam a construir uma sociedade mais justa e solidária…

No livro de Bensirá há uma passagem muito bela sobre o papel de cada membro da família. Saibamos ser agradecidos pela família que o Senhor nos concedeu.

Deus quis honrar os pais nos filhos
e firmou sobre eles a autoridade da mãe.
Quem honra seu pai obtém o perdão dos pecados
e acumula um tesouro quem honra sua mãe.
Quem honra o pai encontrará alegria nos seus filhos
e será atendido na sua oração.
Quem honra seu pai terá longa vida,
e quem lhe obedece será o conforto de sua mãe.
Filho, ampara a velhice do teu pai
e não o desgostes durante a sua vida.
Se a sua mente enfraquece, sê indulgente para com ele
e não o desprezes, tu que estás no vigor da vida,
porque a tua caridade para com teu pai nunca será esquecida
e converter-se-á em desconto dos teus pecados. (Sir 3, 3-7.14-17a)

Um abraço,

 

sábado, 27 de dezembro de 2008

S. João, Apóstolo e Evangelista...

Celebramos hoje a Festa de S. João. Este foi o Discípulo amado de Cristo e foi o último dos Apóstolos a morrer. Foi o autor de vários Cartas, do Apocalipse e do quarto Evangelho.

João é o Apóstolo do Amor, porque Deus é Amor e amou-nos de tal forma que nos deu o Seu Filho, Jesus Cristo. Diz-nos Santo Agostinho: «a Vida manifestou-Se na carne, para que, nesta manifestação, aquilo que só o coração podia ver, fosse visto também com os olhos e desta forma sarasse os corações. De facto o Verbo só pode ser visto com o coração, ao passo que a carne pode ser vista também com os olhos corporais. Éramos capazes de ver a carne, mas não éramos capazes de ver o Verbo. Por isso O Verbo Se fez carne que nós podemos ver, para sarar em nós aquilo que nos torna capazes de ver o Verbo.
Nós damos testemunho do Verbo e vos anunciamos a vida eterna, que estava junto do Pai e foi manifestada em nós, isto é, foi manifestada entre nós e, ainda mais claramente, foi-nos manifestada.
Nós vos anunciamos o que vimos e ouvimos. Prestai atenção: Nós vos anunciamos o que vimos e ouvimos. Eles viram o Senhor presente na carne, ouviram as palavras da sua boca e anunciaram-nas a nós. Por isso também nós ouvimos, mas não vimos.» (Santo Agostinho, Sec. V).

Oração:
Deus todo-poderoso e eterno,
que por meio do apóstolo São João
nos revelastes os mistérios do Verbo,
concedei-nos a graça de compreender e amar
as maravilhas que ele nos fez conhecer.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Boas Festas!!!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Santo Estevão...

Santo Estevão foi um dos primeiros sete Diáconos escolhidos pelos Apóstolos, com o fim de por eles serem aliviados e auxiliados em tarefas administrativas (Act. 6, 1-6). Homem cheio do Espírito Santo, não limitou Estevão o seu «diaconado» aos serviços caritativos. Com efeito, dedicou-se, com toda a sua alma, à evangelização, tornando-se testemunho de Cristo Ressuscitado. O livro dos Actos dos Apóstolos (Act, 7) atribui-lhe um discurso, que, sendo o primeiro ensaio cristão da leitura dos textos do Antigo Testamento em função da vinda do Senhor, servirá de modelo aos primeiros arautos do Evangelho.
Primeiro diácono, foi também o primeiro mártir da Igreja. Cerca do ano 36 da nossa era, com uma morte aceite com as mesmas disposições com que Jesus aceitou a Sua, Estevão dava o supremo testemunho do Seu amor por Ele.

Oração:

Ensinai-nos, Senhor, a imitar o que celebramos,
amando os nossos inimigos,
a exemplo do primeiro mártir, Santo Estevão,
que soube implorar o perdão para os seus perseguidores.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Boas Festas!!!

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

É Natal...

«Vimos a Sua estrela no Oriente e viemos adorá-Lo.» (Mt 2, 2b)

Foi este versículo de São Mateus que escolhi para este Natal de 2008. É um versículo simples, mas carregado de significado. A grandeza de Deus feito homem, no seio da Virgem Maria nasce em Belém e nada nem ninguém pode ficar indiferente a este acontecimento. O próprio mundo dá o sinal, no meio da noite uma luz brilha, a sua luz é tão intensa e invulgar que os Magos do Oriente viram a estrela e vieram até ao presépio de Belém.

O anuncio do nascimento de Deus no meio dos homens deve levar-nos a mudar de vida, a tornarmo-nos crianças, porque delas é o Reino dos Céus. Crianças no sentido de coração puro e de candura, simples na maneira de ser e de viver

" [Amados irmãos e irmãs,] hoje «manifestou-se a graça de Deus Salvador» (cf. Tt 2, 11), neste nosso mundo, com as suas potencialidades e as suas debilidades, os seus progressos e as suas crises, com as suas esperanças e as suas angústias. Hoje refulge a luz de Jesus Cristo, Filho do Altíssimo e filho da Virgem Maria: «Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro. Por nós, homens, e para nossa salvação desceu dos Céus». Adoramo-Lo hoje, em cada ângulo da terra, envolvido em faixas e reclinado numa pobre manjedoura. Adoramo-Lo em silêncio enquanto Ele, ainda infante, parece dizer-nos para nossa consolação: não tenhais medo, «Eu sou Deus e não há outro» (Is 45, 22). Vinde a Mim, homens e mulheres, povos e nações. Vinde a Mim, não temais! Vim trazer-vos o amor do Pai, mostrar-vos o caminho da paz."

(Excerto da Mensagem Urbi et Orbe de Sua Santidade Bento XVI, 25-12-2008).

Que o Menino Jesus encha sempre a nossa vida e o nosso coração e que cada um dos novos 365 dias que nos separam do próximo Natal, sejam eles mesmos um dia de Natal. O Senhor vem para fazer Sua morada no nosso coração.

Um Santo e Feliz Natal.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Obrigado, Senhor...

Obrigado Senhor, por mais este dia que me concedeste. Que em todas as horas deste dia eu me lembre de Ti!!! Amen.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A morte...

A morte é algo que todos desejamos evitar e ver bem longe de nós, é um paradigma, porque se por um lado dizemos que caminhamos para Deus, por outro lado levamos toda uma vida a adiar esse encontro com Cristo. Não deixa de ser menos verdade que o homem tem medo e receio de tudo aquilo que desconhece, também é verdade que ninguém voltou cá para contar como foi.
Mas para os que crêm e apesar da imensa dor que a separação nos possa trazer, concordo com MRB, deveriamo-nos sentir mais protegidos porque esses que nos precederam, intercedem por nós junto de Jesus, e eles mais que ninguém (excepto Maria Santíssima), porque foram das nossas relações de amizade ou familiares percebem as nossas necessidades.
A morte de um pai, avó, primo ou amigo, deita por terra todas as nossas forças, contudo também nos recordam que a nossa vida é uma simples passagem, onde aprendemos a amar. Recorda-te ó homem que és pó e ao pó has-de voltar, diz-nos na Bíblia. Esta recordação deve-nos voltar para Deus para tudo o que é intemporal, a Caridade.
Quando partimos tudo acaba, acabam as dores, o tempo, a esperança, a fé, apenas fica a caridade como nos diz São Paulo.
E a melhor forma de estar em comunhão com os que já partiram é através da oração. Rezar por eles porque também eles rezam por nós. A forma como vivi a separação de ente queridos foi dificil, mas senti sempre a sua presença nos momentos mais difíceis, e agradeci-lhes por me terem ajudado quando mais precisei, quando não sabia o caminho, quando tinha dúvidas.
Desafio-vos a rezar um Pai Nosso por todos os que já partiram, especialmente aqueles e aquelas que não têm quem reze por eles, e um dia encontramo-nos-emos todos na Jerusalem Celeste para louvar eternamente o Cordeiro.

Um abraço,


[P.S.: Este texto foi publicado como comentário no blog CristalizArte]

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Liberdade...


O pior cárcere não é o que aprisiona o corpo mas o que asfixia a mente e algema a emoção.Sem liberdade, os homens tornam-se máquinas de trabalhar.
Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama. É abraçar, é entregar-se, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e de proteger a emoção. Mas acima de tudo, ser livre é ter uma caso de amor com a própria existência e desvendar os seus mistérios...
(Autor desconhecido)

Um abraço,

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Advento...

«Ao celebrar anualmente a liturgia de Advento, a Igreja atualiza esta espera do Messias: participando da longa preparação da primeira vinda do Salvador, os fiéis renovam o ardente desejo de sua segunda Vinda. Celebrando o natal e o martírio do Precursor, a Igreja se une ao desejo de este: «É preciso que ele cresça e que eu diminua» (Jo 3, 30).» (Catecismo da Igreja Católica, # 524).
Votos de um Santo Advento.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Nª Senhora da Conceição...

«Não temas, Maria,
porque encontraste graça diante de Deus.
Conceberás e darás à luz um Filho,
a quem porás o nome de Jesus.
Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo.
O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David;
reinará eternamente sobre a casa de Jacob
e o seu reinado não terá fim».
Maria disse ao Anjo:
«Como será isto, se eu não conheço homem?».
O Anjo respondeu-lhe:
«O Espírito Santo virá sobre ti
e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra.
Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus.
E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice
e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril;
porque a Deus nada é impossível».
Maria disse então:
«Eis a escrava do Senhor;
faça-se em mim segundo a tua palavra». (Lc 1, 30-38)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Para pensar...

«Se os cristãos perdessem o sentido da conversão a Deus, o cristianismo que testemunham, não apresentaria senão o aspecto dum humanismo entre outros e ver-se-ia privado de toda a densidade propriamente religiosa».
(Thiery Maertens).

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Oração a Santo António...

Ó grande e bem-amado
Santo António de Lisboa!
Vosso amor a Deus e ao próximo,
vosso exemplo de vida cristã,
fizeram de vós
um dos maiores Santos da Igreja.
Eu vos suplico
tomar sob vossa protecção valiosa
minhas ocupações,
empreendimentos,
e toda a minha vida.
Estou persuadido
de que nenhum mal
poderá atingir-me
enquanto estiver
sob a vossa protecção.
Protegei-me e defendei-me:
sou um pobre pecador.
Recomendai minhas necessidades
e apresentai-vos
como meu medianeiro a Jesus,
a quem tanto amais.
Por vosso mérito,
Ele aumente minha fé e caridade,
console-me nos sofrimentos,
livre-me de todo mal
e não me deixe sucumbir na tentação.
Ó Deus poderoso,
livrai-me de todo o perigo
do corpo e da alma.
Auxiliado continuamente por Vós,
possa viver cristãmente
e santamente morrer.
Ámen.