Tempos livres

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Papa Bento XVI visita Portugal no próximo ano...

Sua Santidade o Papa Bento XVI efectuará uma Visita a Portugal no próximo ano, em resposta ao convite que lhe foi endereçado pelo Presidente da República.

Para lá do programa oficial, Sua Santidade o Papa Bento XVI deslocar-se-á ao Santuário Mariano de Fátima, onde presidirá às cerimónias religiosas de 13 de Maio.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Oraçao para o ano sacerdotal...

Senhor Jesus,

Vós quisestes dar à Igreja, em São João Maria Vianney, uma imagem viva e uma personificação da caridade pastoral.

Ajudai-nos a viver bem este Ano Sacerdotal, em sua companhia e com o seu exemplo.

Fazei que, a exemplo do Santo Cura D’Ars, possamos aprender a estar felizes e dignos diante do Santíssimo Sacramento, como é simples e quotidiana a vossa Palavra que nos ensina, como é terno o amor com o qual acolheu os pecadores arrependidos, como é consolador o abandono confiante à vossa Santíssima Mãe Imaculada e como é necessária a luta vigilante e fiel contra o Maligno.

Fazei, ó Senhor Jesus que, com o exemplo do Cura D’Ars, os nossos jovens possam sempre mais aprender quão necessário, humilde e glorioso é o ministério sacerdotal que quereis confiar àqueles que se abrem ao vosso chamado.

Fazei que também em nossas comunidades, tal como aconteceu em Ars, se realizem as mesmas maravilhas de graça que fazeis acontecer quando um sacerdote sabe “colocar amor na sua paróquia”.

Fazei que as nossas famílias cristãs saibam descobrir na Igreja a própria casa, na qual os vossos ministros possam ser sempre encontrados, e saibam fazê-la bela como uma igreja.

Fazei que a caridade dos nossos pastores anime e acenda a caridade de todos os fiéis, de tal modo que todos os carismas, doados pelo Espírito Santo, possam ser acolhidos e valorizados.

Mas, sobretudo, ó Senhor Jesus, concedei-nos o ardor e a verdade do coração, para que possamos dirigir-nos ao vosso Pai Celeste, fazendo nossas as mesmas palavras de São João Maria Vianney:

Eu Vos amo, meu Deus, e o meu único desejo é amar-Vos até o último suspiro da minha vida.

Eu Vos amo, Deus infinitamente amável, e prefiro morrer amando-Vos a viver um só instante sem Vos amar.

Eu Vos amo, Senhor, e a única graça que Vos peço é a de amar-Vos eternamente.

Eu Vos amo, meu Deus, e desejo o céu para ter a felicidade de Vos amar perfeitamente.

Eu Vos amo, meu Deus infinitamente bom, e temo o inferno porque lá não haverá nunca a consolação de Vos amar.

Meu Deus, se a minha língua não Vos pode dizer a todo o momento que Vos amo, quero que o meu coração Vo-lo repita cada vez que respiro.

Meu Deus, concedei-me a graça de sofrer amando-Vos e de Vos amar sofrendo.

Eu Vos amo, meu divino Salvador, porque fostes crucificado por mim e porque me tendes aqui em baixo crucificado por Vós.

Meu Deus, concedei-me a graça de morrer amando-Vos e de saber que Vos amo.

Meu Deus, à medida que me aproximo do meu fim, concedei-me a graça de aumentar e aperfeiçoar o meu amor.

Amén.

S. João Maria Vianney

terça-feira, 22 de setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009

...


Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Fome...




Um destes dias enquanto estava a descansar um pouco depois do almoço, de barriga cheia, veio-me à memória a imagem de uma criança magríssima, sem nada para saciar a sua imensa fome. A imagem reproduzida em cima em nada se assemelha à que se perdia na minha lembrança, mas por ser chocante escolhi esta.
Todos nós temos direito a alimento e água para saciar as necessidades mais básicas de funcionamento do nosso organismo, mas quantas pessoas (crianças inclusive) morrem diariamente vítimas da fome! Vítimas anónimas de guerras e guerrilhas, esquecidas por todas, vozes muitas vezes silenciadas por quem tudo tem e em tudo manda.
Esta imagem fez-me pensar na comida que tantos lares desperdiçam, fruto da abundância, sem se importarem em estragar porque não lhes faz falta. É certo, que estes “mendigos” muitas vezes não estão à nossa porta e alimentá-los pode parecer uma tarefa impossível porque aquilo que sobra das nossas mesas não chegaria a tempo e em condições saudáveis a essas pessoas, contudo poderíamos ser mais conscientes quando fazemos a comida e quando deitamos as sobras para o lixo.
Quantas bocas se saciariam apenas com alguns bagos de arroz que deitamos fora. Como minimizaríamos o sofrimento desses seres humanos que sofrem e morrem em silêncio.
A minha prece, hoje, é para essas vítimas silenciosas que sucumbem à desnutrição e à falta de zelo de tantos que poderiam minimizar estas desigualdades.
Um abraço,

terça-feira, 15 de setembro de 2009

E vós, quem dizeis que Eu sou?...


“E vós, quem dizeis que Eu sou?” É uma pergunta que deve, de forma constante, ecoar nos nossos ouvidos e no nosso coração. Responder a esta questão não significa papaguear lições de catequese ou tratados de teologia, mas sim interrogar o nosso coração e tentar perceber qual é o lugar que Cristo ocupa na nossa existência… Responder a esta questão obriga-nos a pensar no significado que Cristo tem na nossa vida, na atenção que damos às suas propostas, na importância que os seus valores assumem nas nossas opções, no esforço que fazemos ou que não fazemos para o seguir… Quem é Cristo para mim? Ele é o Messias libertador, que o Pai enviou ao meu encontro com uma proposta de salvação e de vida plena?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pelas familias...


Senhor Jesus Cristo,
que reunistes a Igreja nascente no Cenáculo
com Maria, vossa Mãe,
fazei que a [esta] Igreja doméstica
aprenda com a Virgem Santa Maria
a conservar em seu coração as vossas palavras,
a perseverar assiduamente na oração
e a dedicar-se aos outros com a sua vida e os seus bens.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

11 de Setembro...

Há 8 anos o mundo era abaldo pelos ataques às Torres Gemeas.
Ninguém imaginaria que tal podesse acontecer, estavamos de tal modo instalados nas nossas vidas que nada fazia prever um incidente desta natureza. O mundo horrorizado assistia em directo aos ataques que roubariam centenas de vidas inocentes, desde os trauseuntes, aos que se encontravam nos seus locais de trabalho.

8 anos se passaram, muitas vítimas inocentes voltaram a morrer, desde então, em nome de guerras sem fundamentos, esquecendo-se muitas vezes que a vida é um bem sublime que ninguém, nem religião alguma pode destruir.

Talvez seja altura de pensar se a violência leva a algum lado, se levar, só leva à destruição e fomenta cada vez mais ódios.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O meu 1º selo


Ofereço este selo a:

. Os meus labores...
. A inspiração da Imaginação
. O Sofá Vermelho
. Caixinha dos Sorrisos
. CristalizArte
. Uma semana com...
. Olhar Público
. Via Cristo