Tempos livres

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Cristo Rei...

Celebrar a Solenidade de Cristo Rei do Universo é celebrar a Festa de Cristo Rei feito Homem que vêm inaugurar um novo reino, um reino diferente de todos os outros, onde a gratuidade e serviço são as palavras chave.

O Reino de Cristo é dom oferecido aos homens de todos os tempos, para que aquele que acredita no Filho de Deus feito Homem «não morra mas tenha a vida eterna» (Jo 3, 16).
O Reino de Cristo realizou-se plenamente com a sua morte e ressurreição, porque Cristo obedeceu até à morte e morte de cruz.

Um Rei que se faz servo é algo desconsertante, mas só assim poderemos entrar neste Reino, ser nos tornármos crianças, não na aparência física mas na sua pureza e candura. Se assim o fizermos "inauguramos" «um reino eterno e universal: reino de verdade e de vida, reino de santidade e de graça, reino de justiça, de amor e de paz». (cf. Prefácio de Cristo, Sacerdote e Rei do Universo)

Assim seja,

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

...

"A noite vai avançada e o dia está próximo. Deixemos as obras das trevas e vistamos as armas da luz". Rm 13, 12

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Laicidade do Estado?...


A [nossa] sociedade tem vindo a defender a laicidade do Estado, tornando-o independente das igrejas ou confissões religiosas, e o poder Central tudo tem feito para atingir esse fim. Mas na minha opinião têm-no feito mal, muito mal. A Europa e o mundo tende a esquecer as suas raízes e tradições de herança cristã.

A visão laical do Estado impõe a retirada de todos os crucifixos das escolas, hospitais, de todos os sítios que sejam da Administração Pública. Li à dias, que também quer “acabar” com os nomes dos santos nas localidades, em vez de se chamar Vila Real de Santo António, vai chamar-se sabe-se lá o quê. Pretendendo também alterar a toponímia das ruas que tenham nomes de santos… e isto por quê? Porque defendem os “autores” que o estado deve ser laico.

É uma má opção. Não sou contra a laicidade do Estado, mas este não deve opor-se às tradições existentes, não vamos mudar o nome das coisas só porque uns quantos não gostam.

Em vez disso devia apelar ao bom entendimento entre os diversos credos, entre os homens.

Europa, Europa, onde está a tua tradição cristã? Esqueceste-te das tuas raízes? Esqueceste os teus antepassados? Quantos deixaram as suas terras, casas e/ou famílias e foram rumo ao desconhecido testemunhar a Boa Nova?

Quantos mártires preferirem o sacrifício à simples negação de Cristo? Terá sido em vão? Não, a Europa está adormecida, inebriada com tantas descobertas científicas que se esquece que Deus é o autor de todas as coisas. É Ele o Senhor da Vida.

Enganem-se os que pensam que a ciência se separou da religião. Não. Muitos cientistas através das suas descobertas descobrem Deus e tentam aprofundar a Sua descoberta, porque quando nos deixamos tocar pelo Seu amor, nada pode ficar como dantes. A vida ganha outro sabor.

Podemos abandonar Deus, mas Ele nunca nos abandonará…

Lisboa, cidade das 7 colinas, lembra-te que o Cristo Rei te abraça, Ele estende sobre ti os seus braços, a ti que és a Capital, do país, que se gloria dos seus feitos e dos seus santos. Não esqueças a tua raiz cristã.

Rainha dos Céus, Vós sois, há muito tempo [para os Lisboetas], a Senhora de Belém, a Senhora da Saúde, a Senhora da Rocha, a Senhora da Penha de França, a Senhora do Amparo, a Senhora de Fátima, títulos que mostram bem a confiança que a cidade de Lisboa deposita em Vós e se reúnem todos na designação de Santa Maria Maior, título da nossa Catedral, a Igreja Mãe desta diocese de Lisboa (cf. Consagração da Cidade de Lisboa, 12-11-05), guiai-nos e ajudai-nos nas tribulações do dia-a-dia, para que permanecendo fiéis aos ensinamentos de Cristo Rei do Universo possamos um dia louvar-Vos na Jerusalém Celeste.

Um abraço, BA

sábado, 22 de novembro de 2008

I Aniversário

Foi há um ano que embarquei nesta aventura de criar um blog onde pudesse partilhar com os outros reflexões, poemas e tantas outras coisas.
Faço um balanço positivo deste primeiro ano a "blogar" mas o visitante terá a sua opinião.
Para todos os que fizeram deste "sítio" um lugar de passagem, um bem hajam...

Um abraço muito amigo a todos os que me têm incentivado na "construção" do caminho.

domingo, 16 de novembro de 2008

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Saboreai e vede... - II

[Continuação…]

Nos tempos que correm a Eucaristia, Missa, parece passar ao lado de muitos de nós. Deixamos de ir à missa porque não temos tempo, isso é só para os outros, etc... É necessário despertar e reavivar na Igreja e em nós este desejo de estar em comunhão com o Senhor ressuscitado, presente no meio de nós tão presente e real como está no céu.

Sem Cristo e sem Eucaristia o cristão torna-se vazio, é Cristo que o enche, porque na Eucaristia, Ele torna-se presente, actualiza o sacrifício da Cruz. Pelo Seu sangue fomos redimidos, pela Sua Cruz fomos resgatados.

Como seria bom que cada um de nós dedicasse mais tempo à contemplação de Jesus Sacramentado, o Jesus Escondido como dizia o Beato Francisco Marto, que nos espera de braços abertos para lhe fazermos companhia, conversar com Ele, apresentando-lhe os nossos desejos, as nossas aspirações, as nossas tristezas e as nossas alegrias, tudo o que somos e temos.

Diz a Lúmen Gentium «ao participar realmente do Corpo do Senhor, na fracção do Pão eucarístico, somos elevados à comunhão com Ele e entre nós».

A Eucaristia é fonte de união, esta união deve estabelecer-se, em primeiro lugar , entre Cristo e o homem. Diz o Senhor: «Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim, e Eu nele. Aquele que me come viverá por Mim».

Jesus que permanecer em nós, quer que vivamos por Ele. A nossa união com Cristo não pode ser só por alguns momentos do dia. Será e é constantemente, em cada minuto, em cad segundo, todos os dias da nossa vida (desde o dia do nosso Baptismo).

Esta união com Cristo deve levar-nos à transformação em Cristo. E a união que nos transforma em Cristo, gera a união com todos os irmãos.

Desafio-vos a orarem na presença de Jesus Sacramentado, tendo por modelo Maria, a Mulher Eucarística.

Que a presença de Cristo Vivo e presente no meio de nós nos torne homens e mulheres sempre insaciáveis na procura e busca do bem comum e que o Seu Corpo e Sangue nos confortem em todos os momentos da nossa vida.

Bendita, bendita seja a divina Eucaristia

Que ilumina a santa Igreja como o sol de cada dia.




Bruno Alexandre


quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Saboreai e vede como o Senhor é bom - I ...

Saboreai e vede como o Senhor é bom (Sl 33).

A Eucaristia é o memorial da Paixão, Morte e Ressurreição salvadora de Cristo. Assim, permite-nos recordar que o Senhor, é aquele Deus «em quem vivemos, nos movemos e existimos»(Act 17, 28), é Ele quem alimenta o homem e o sustenta.

O pão e o vinho que apresentamos ao Senhor, pelas mãos do sacerdote, transforma-se em Pão da Vida e Vinho da Salvação, porque é alimento que nos sacia e bebida que nos nutre, unidos a Cristo encontraremos o sentido e a força necessária para percorrer o caminho que nos leva à Pátria Celeste.

Saboreai e vede como o Senhor é bom. Esta frase encerra em si um convite, feito pela Igreja nas palavras do salmista, sempre que celebramos Eucaristia, pois somos convidados para o Banquete, onde o Senhor se oferece continuamente em sacrifício por nós e para nós, Ele torna-se alimento de vida eterna. “quem come a minha carne e bebe o meu sangue viverá para sempre”. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida.

Mas este convite leva-nos mais além, contemplar o rosto de Cristo presente tal e qual como está no céu.

O cristão ao saborear o Senhor não pode deixar de sentir uma alegria plena e uma enorme satisfação, porque o Senhor é bom, apesar da nossa condição de pecadores Ele não cessa de nos chamar e convidar para o seu banquete, o Senhor é Bom.

É alimento que conforta, que alimenta e nutre, não o nosso corpo físico, mas a nossa alma. «Não é como aquele [pão] que os vossos pais comeram e morreram; quem come deste pão viverá eternamente» (Jo 6, 57). O seu Corpo, por nós imolado, é alimento que nos fortalece; e o seu Sangue, por nós derramado, é bebida que nos purifica[1].


[1] Prefácio da Santíssima Eucaristia

(continua…)


domingo, 9 de novembro de 2008

Basílica de S. João de Latrão...

Segundo uma tradição que remonta ao século XII, celebra se neste dia o aniversário da dedicação da basílica de Latrão, construída pelo imperador Constantino. Inicialmente foi uma festa exclusivamente da cidade de Roma; mais tarde, estendeu se à Igreja de rito romano, com o fim de honrar a basílica que é chamada «a igreja mãe de todas as igrejas da Urbe e do Orbe» e como sinal de amor e unidade para com a Cátedra de Pedro que, como escreveu S. Inácio de Antioquia, «preside à assembleia universal da caridade».

sábado, 8 de novembro de 2008

Graças Vos damos...

«Graças Vos damos, Pai nosso,
pela vida e pela ciência
que nos revelastes por Jesus, vosso servo.
Glória a Vós pelos séculos!

Assim como este pão repartido
estava disperso pelos montes
e, depois de recolhido, se tornou um só,
assim se reúna a vossa Igreja
dos confins da terra no vosso reino (...).

Senhor omnipotente,
Vós criastes o universo,
para glória do vosso nome;
e destes aos homens comida
e bebida para seu alento,
para que Vos dessem graças;
mas a nós concedestes-nos um alimento
e uma bebida espirituais
e a vida eterna por meio do vosso Filho (...).
Glória a Vós pelos séculos» (Didaké 9, 3-4; 10, 3-4).

Amen.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Alma...


A minha alma, [embora eu não o admitisse,] era como terra sem água, sedenta das águas vivas da Verdade. Não tinha ainda começado a rezar, mas esta ânsia pela Verdade era, em si, uma oração.

Edith Stein

domingo, 2 de novembro de 2008

Fiéis Defuntos...


Senhor, dia sem ocaso e fonte de misericórdia infinita, fazei-nos recordar sempre como é breve a nossa vida e incerta a hora da morte. O Vosso Espírito Santo dirija os nossos passos, para que vivamos em santidade e justiça, todos os dias da nossa peregrinação sobre a terra, para que, depois de Vos servirmos em comunhão com a vossa Igreja, iluminados pela fé, confortados pela esperança e unidos pela caridade entremos todos na alegria do vosso Reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco na Unidade do Espírito Santo.
Ámen.

sábado, 1 de novembro de 2008

Todos os Santos...


Os Santos, tendo atingido pela multiforme graça de Deus a perfeição e alcançado a salvação eterna, cantam hoje a Deus no Céu, o louvor perfeito e intercedem por nós.
A Igreja proclama o mistério pascal, realizado na paixão e glorificação deles com Cristo, propõe aos fiéis os seus exemplos, que conduzem os homens ao Pai por Cristo; e implora, pelos seus méritos, as bênçãos de Deus.
Segundo a sua tradição, a Igreja venera os Santos e as suas relíquias autênticas, bem como as suas imagens. É que as festas dos Santos proclamam as grandes obras de Cristo nos Seus servos e oferecem aos fiéis os bons exemplos a imitar» (Constituição Litúrgica, n.º 104 e 111).

Que o exemplo dos Santos nos levem a progredir na santidade, e que cada dia o nosso caminho se torne um passo à frente no desejo da santidade.

Um abraço, BA