Tempos livres

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Quaresma...

O tempo da Quaresma deve ser tempo de prática mais intensa das boas obras, particularmente das chamadas “obras de misericórdia”, sob a forma mais adequada às circunstâncias de cada um; mas, em qualquer caso, tudo há-de sair do coração sincero e penitente e conduzir à renovação, cada ano mais profunda desse mesmo coração, sob o único olhar de Deus. “A discrição é o perfume de todas as virtudes”, diz um Santo.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

4ª Feira de Cinzas...


Arrepende-te e acredita no Evangelho...

Iniciamos mais um tempo litúrgico forte, a Quaresma, tempo de preparação interior para a celebração das festas pascais. Esta será apenas mais uma Quaresma se não nos sentirmos motivados a "queimar" tudo o que é "lixo" na nossa vida. "Queimar" o pecado, as nossas teimosias, a nossa indiferença e comodismo. Se queimarmos os nossos defeitos, das cinzas renascerá uma vida nova.
Uma Santa Quaresma,

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Amar...

Não é possível amar o próximo como a si mesmo e perseverar nesta atitude sem a firme e constante determinação de se empenhar em prol do bem de todos e de cada um, porque todos nós somos verdadeiramente responsáveis por todos 44. Segundo o ensinamento conciliar, «o nosso respeito e amor devem estender-se também àqueles que pensam ou actuam de modo diferente de nós em matéria social, política ou até religiosa. Aliás, quanto mais intimamente compreendermos, com delicadeza e caridade, a sua maneira de ver, tanto mais facilmente poderemos com eles dialogar»45. Nesse caminho é necessária a graça, que Deus oferece ao homem para o ajudar a superar os falhanços, para o arrancar da voragem da mentira e da violência, para o sustentar e incentivar a tecer de novo, com espírito sempre renovado e disponível, a rede das relações verdadeiras e sinceras com os seus semelhantes46.

44 Cf. JOÃO PAULO II, carta encícl. Sollicitudo Rei Socialis, n.º 38, AAS 80, 1988, p. 565-566.
45 CONCÍLIO VATICANO II, const. past. Gaudium et Spes, n.º 28, AAS 58, 1966, p. 1048.
46 Cf. Catecismo da Igreja Católica, n.º 1889.
 
(in Compêndio da Dourina Social da Igreja)

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Amizade...

Ter amizade é uma coisa muito nobre, muito grande. Mas a amizade deve levar a ter actuações leais na vida, porque o amigo não pode ser um cúmplice. É-se cúmplice para cometer delitos, coisas vergonhosas. A amizade é para realizar, com outros, coisas boas boas a favor de outras pessoas. Se não, não é verdadeira amizade.
(Josemaría Escrivá)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Dia Mundial do Doente...


No Dia Mundial do Enfermo, que celebramos em 11 de Fevereiro, memória litúrgica da Bem-aventurada Maria, Virgem de Lurdes, as Comunidades diocesanas reúnem-se com os seus bispos em momentos de oração, para reflectir e programar iniciativas de sensibilização sobre as realidades do sofrimento. O Ano Paulino, que estamos celebrando, oferece a ocasião propícia para determo-nos e meditarmos com o Apóstolo Paulo sobre o facto que, “assim como os sofrimentos de Cristo são copiosos para nós, assim também por Cristo é copiosa a nossa consolação” (2 Cor 1,5).

A relação espiritual com Lurdes evoca também a materna solicitude da Mãe de Jesus pelos irmãos de seu Filho “que, entre perigos e angústias, caminham ainda na terra, até chegarem à pátria bem-aventurada” (Lumen Gentium, 62).


Este ano, a nossa atenção se dirige particularmente às crianças, criaturas mais frágeis e indefesas; e entre elas, às crianças enfermas e sofredoras. Pequenos seres humanos levam em seus corpos consequências de enfermidades que causam invalidez; outros lutam contra males hoje ainda incuráveis, não obstante o progresso da medicina e a assistência de válidos cientistas e profissionais do campo da saúde. Existem crianças feridas no corpo e na alma em conflitos e guerras, e outras ainda, vítimas inocentes do ódio de insensatas pessoas adultas. Existem meninos e meninas “de rua”, carentes do calor de uma família e abandonados a si mesmos; e menores profanados por pessoas sem escrúpulos, que violam a sua inocência, provocando sequelas psicológicas que as marcarão pelo resto da vida.


Não podemos ignorar o incalculável número de menores que morrem por causas como sede, fome, carência de assistência sanitária, assim como os pequenos refugiados, fugiram das suas terras com os pais em busca de melhores condições de vida. De todas estas crianças, eleva-se um silencioso grito de dor que interpela nossas consciências de homens e cristãos.



Excerto da Mensagem do Papa Bento XVI para o Dia Mundial do Doente 2009.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Para Além da Curva da Estrada


Para além da curva da estrada
Talvez haja um poço, e talvez um castelo,
E talvez apenas a continuação da estrada.
Não sei nem pergunto.

Enquanto vou na estrada antes da curva
Só olho para a estrada antes da curva,
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva.
De nada me serviria estar olhando para outro lado e para aquilo que não vejo.

Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos.
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer.
Se há alguém para além da curva da estrada,
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada.

Essa é que é a estrada para eles.
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos.
Por ora só sabemos que lá não estamos.
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva
Há a estrada sem curva nenhuma.

Alberto Caeiro

...

Deus não se substitui ao homem: guia-o com a luz da sua palavra, acompanha-o com a sua presença, mas quer que seja o homem a agir e a combater o mal.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

...

Quanto mais se chega perto do sonho, mais a Lenda Pessoal vai se tornando a verdadeira razão de viver.
O Alquimista (Paulo Coelho)