Tempos livres

segunda-feira, 30 de março de 2009

Ser feliz...

Muitas vezes é nos pequenos gestos que se encontra a felicidade.
Num brinquedo, numa palavra amiga, num sorriso, numa flor, numa lembrança.


quinta-feira, 19 de março de 2009

Dia do Pai...

Ter um Pai! É ter na vida
Uma luz por entre escolhos;
É ter dois olhos no mundo
Que vêem pelos nossos olhos!

Ter um Pai! Um coração
Que apenas amor encerra,
É ver Deus, no mundo vil,
É ter os céus cá na terra!

Ter um Pai! Nunca se perde
Aquela santa afeição,
Sempre a mesma, quer o filho
Seja um santo ou um ladrão;

Talvez maior, sendo infame
O filho que é desprezado
Pelo mundo; pois um Pai
Perdoa ao mais desgraçado!

Ter um Pai! Um santo orgulho
Pró coração que lhe quer
Um orgulho que não cabe
Num coração de mulher!

Embora ele seja imenso
Vogando pelo ideal,
O coração que me deste
Ó Pai bondoso é leal!

Ter um Pai! Doce poema
Dum sonho bendito e santo
Nestas letras pequeninas,
Astros dum céu todo encanto!

Ter um Pai! Os órfãozinhos
Não conhecem este amor!
Por mo fazer conhecer,
Bendito seja o Senhor!

FLORBELA ESPANCA

sexta-feira, 13 de março de 2009

Oração da Paz - S. Francisco de Assis...


Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz;
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé;
Onde houver erros, que eu leve a verdade;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, fazei com que eu procure mais consolar,
que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado;
Pois é dando que se recebe;
É perdoando, que se é perdoado;
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Ensina-nos a rezar...

A verdadeira oração cristã é aquela onde a vida está completamente comprometida.
A verdadeira oração é, por isso, a respiração, o grito, a interrogação, a súplica, o amor que sobe, dia a dia, por nós fora. Não é uma coisa mental. Não é certamente uma fórmula que se repete. Jesus é o mestre da oração porque a sua vida depende absolutamente de Deus.
Ele reza tudo o que é, e coloca-se pobre nas mãos do Pai. Como se não tivesse mais nada.
Nós, quando ainda pensamos possuir muitas coisas, ou ter a vida bem defendida e assegurada não sabemos o que é a oração. Aprendemos o que é a oração quando não temos nada, nem ninguém a não ser o Pai. Assim, na oração, a nossa vida inteira se joga, a vida inteira se abre. Ensina-nos Senhor a rezar.
José de Mendonça

sexta-feira, 6 de março de 2009

O pequeno fósforo...

Era uma vez uma caixa onde viviam muitos fósforos amontoados. Estavam assim, porque tinham muito frio. Aconchegavam-se uns aos outros para se darem calor. Mas isso não bastava. Estavam sempre a tiritar de frio e não sabiam de que forma se podiam aquecer.

Os dias iam passando e tudo continuava na mesma. Até que um dos fósforos mais inteligentes, depois de ter pensado muito, descobriu uma solução e disse:

- Já sei! Descobri como livrar-nos do frio! O fogo! É dele que precisamos!

Os outros fósforos, muito espantados pela sua sabedoria, disseram:

- E como conseguiremos ter esse fogo de que nos falas?

Ele respondeu dizendo:

- Alguém terá de arriscar a sua vida, saindo daqui para o encontrar e trazer.

Todos os fósforos começaram a falar entre si. Sair da caixa era expor-se a uma morte certa. Estava tanto frio ali fora, que todo aquele que o tentasse morreria congelado.

Um pequeno fósforo apresentou-se como voluntário para ir buscar o fogo. Todos ficaram surpreendidos; aquilo era uma loucura. Muito decidido, subiu ao cimo da caixa e saiu dando um salto para fora, mas com tão pouca sorte, desequilibrou-se e caiu de cabeça. A sua cabeça, ao tocar no chão, incendiou-se e começou a arder.

O pequeno fósforo estava espantado. Não podia acreditar, o fogo estava nele. Da parte de fora começou a gritar aos outros fósforos, dizendo que o fogo se encontrava adormecido dentro deles. Só tinham que sair da caixa e saltar de cabeça.

Ao princípio não acreditaram, mas quando espreitaram e o viram a arder, convenceram-se. Todos os fósforos arriscaram o salto e, ao cair, acenderam-se.

Desde então, não voltaram a passar mais frio; aquele fogo que tinham, nunca mais acabou. Se algum se apagava, bastava encostar-se a algum que estivesse aceso e voltava a recuperar o fogo.


Autor desconhecido

quinta-feira, 5 de março de 2009

Oração...

Ó Pai, que nos amaste
até sacrificar o Teu Dilectíssimo Filho,
enche-nos do Teu Santo Espírito:
Faz de nós verdadeiros discípulos de Cristo
experimentados na sabedoria da cruz e
alegres na esperança da salvação eterna.
Por Cristo Nosso Senhor.
R. Amen.