Tempos livres

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

S. Vicente de Fora


A Igreja celebra hoje a memória de S. Vicente. Este santo é o Padroeiro Principal do Patriarcado de Lisboa e secundário da Cidade de Lisboa.

Vicente de Saragoça, também conhecido como São Vicente de Fora, foi um mártir do início do século IV que sofreu o martírio em Valência, juntamente com o seu Bispo de quem era diácono.

Entre as muitas localidades e igrejas de que é padroeiro, contam-se a Diocese do Algarve e o Patriarcado de Lisboa, em cuja Sé se encontram algumas das suas relíquias.

Durante o Império de Diocleciano, o delegado imperial Daciano moveu na Ibéria uma perseguição aos cristãos. Vicente recusou oferecer sacrifícios aos deuses e foi cruelmente martirizado até à morte, que terá ocorrido em 304.

Em Portugal é representado de modos diversos: com palma e evangeliário ou, mais habitualmente, com uma barca e um corvo, porque, de acordo com a tradição, quando, em 1173, o rei Afonso Henriques ordenou que as relíquias do santo fossem trazidas do Cabo de São Vicente (o então «Promontorium Sacrum»), junto a Sagres, para a cidade de Lisboa, duas daquelas aves velaram o corpo do santo que seguia a bordo da barca – facto a que ainda hoje aludem as armas de Lisboa e de muitas outras povoações portuguesas.

Fonte: wikipédia

2 comentários:

Anónimo disse...

Martim Moniz
O nome de Martim Moniz está ligado à conquista de Lisboa aos Mouros e figura na memória da cidade através de uma praça com o seu nome. A lenda conta que D. Afonso Henriques tinha posto cerco à cidade, ajudado pelos muitos cruzados que por aqui passaram a caminho da Terra Santa. O cerco durou ainda algum tempo, durante o qual se travavam pequenas investidas por parte dos cristãos. Numa dessas tentativas de assalto a uma das portas da cidade, Martim Moniz enfrentou os mouros que saíam para repelir os cristãos e conseguiu manter a porta aberta mesmo a custo da sua própria vida. O seu corpo ficou atravessado entre os dois batentes e permitiu que os cristãos liderados por D. Afonso Henriques entrassem na cidade. Ferido gravemente, Martim Moniz entrou com os seus companheiros e fez ainda algumas vítimas entre os seus inimigos, antes de cair morto. D. Afonso Henriques quis honrar a sua valentia e o sacrifício da sua vida ordenando que aquela entrada passasse a ter o nome de Martim Moniz. O povo diz que foi D. Afonso Henriques que mandou colocar o busto do herói num nicho de pedra, onde ainda hoje se encontra, junto à Praça de Martim Moniz.

In:Lendas de Portugal - lendas do distrito de Lisboa.

E agora digo eu. Se o martim Moniz soubesse a fama que a Praça a que deu o seu nome viria a ter no séc.XXI de certeza que não se tinha sacrificado como se sacrificou.
Ou será que tinha?
Responde lá oh Sobrinho

Um abraço do Tio Óscar

Bruno Alexandre disse...

Possívelmente não...

Talvez poucos saibam quem foi Martim Moniz e porque a Praça do Martim Moniz se chame assim.

Um abraço e obrigado pelos seus comentários.
BA