Tempos livres

sábado, 9 de janeiro de 2010

O cântaro...

Um rei tinha um palácio no alto de uma pequena encosta e todos os dias o seu criado ia buscar água ao poço.
Levava dois cântaros, um em cada mão.
Reparou que um deles tinha um pequeno defeito e que depois de cheio, durante a viagem ia perdendo água, chegando ao palácio meio vazio.
Certo dia, o criado decidiu lançar um punhado de sementes pelo carreiro que o levava até ao poço.
O cantaro, indignado com a sua deficiência disse para o criado:
- deixa-me aqui em casa, eu não sirvo para nada, de todas as vezes que me enches, nunca consegui chegar ao palácio cheio de água.
Ao que o criado respondeu:
-Quando fores para baixo repara, que do teu lado existe um belo jardim.
Quando chegaram ao poço, o cântaro pode contemplar a beleza do jardim que se propagava pela encosta.
Disse-lhe o criado:
-Vês a beleza deste jardim? Reparei na tua deficiência e decidi tirar partido dela, lancei flores à terra, porque sempre que subia com os cântaros sabia que as ias regar. Assim posso sempre por na mesa do meu senhor as flores mais viçosas e belas.
O cântaro encheu-se de alegria, pois mesmo sem saber era útil.

Saibamos cada um de nós tirar partido das nossas pequenas deficiências e construiremos um mundo melhor...

3 comentários:

S* disse...

Isso mesmo... olhar as qualidades, em vez dos defeitos.

Miguel disse...

Bela surpresa deparar logo de manhã com um texto destes, tão sábio, num blogue que desde a primeira vista de olhos conseguiu cativar a minha atenção. Parabéns pelo excelente trabalho e já agora gostaria de saber se posso partilhar esta bela lição de vida no meu blogue. Tudo de bom.

Miguel disse...

Por lapso e, embora ambos de bastante interesse, referia-me à postagem sobre o frasco da vida.