Tempos livres

sexta-feira, 27 de junho de 2008

O comboio...


Um comboio avança velozmente para o seu destino. Atravessa os campos como uma flecha. Penetra nos túneis. Cruza cidades e aldeias. Parece uma serpente mecânica a deslizar com toda a perfeição. Dentro do comboio desenrola-se o drama da humanidade. Gente de todas as raças, de todas as idades, de todas as condições sociais. Gente que ama e gente que odeia.

Uns acham que o comboio leva uma velocidade exagerada; outros vão satisfeitos, contemplando a paisagem. Uns preocupam-se em saber se ele chegará ao seu destino, enquanto outros, despreocupados, passeiam pelas carruagens.

E o comboio continua a correr, impassível, em direcção ao destino. A todos transporta, sem se preocupar com as diferenças.

A viagem é grátis, mas ninguém pode sair do comboio. Vive-se dentro dele. Podem os passageiros estar tristes ou alegres, mas isso em nada influencia o comboio, que continua a correr infatigavelmente para a meta.

Não será assim a nossa vida? Uma corrida para a meta? E qual será a meta?

Apesar de todos os problemas a vida avança e em nada se pode voltar atrás, está nas nossas mãos viver o tempo presente, é esse o tempo que verdadeiramente importa.

Se assim vivermos, teremos certamente um bom dia!

Um abraço,

Sem comentários: