Tempos livres

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Dia dos Namorados...

Tenho uma sede profunda e ardente de amor verdadeiro;
daquele todo despojado, totalmente gratuito que não pede nada em troca, apenas a felicidade do outro;
daquele inquieto e à procura, exigente e peregrino.
Tenho sede de um amor apaixonado pelo bem do outro, que não se contenta com o que já é;
daquele incondicionalmente fiel, tenazmente paciente e próximo.
Um amor que tudo perdoa, tudo espera, tudo suporta, sem reservas ou preconceitos, sem defesas e sem condições.
Tenho sede de um amor que dure toda a vida onde o outro se confunda em nós, que depois do prazer e da conquista não se sacie!

Sem comentários: