Tempos livres

sexta-feira, 6 de março de 2009

O pequeno fósforo...

Era uma vez uma caixa onde viviam muitos fósforos amontoados. Estavam assim, porque tinham muito frio. Aconchegavam-se uns aos outros para se darem calor. Mas isso não bastava. Estavam sempre a tiritar de frio e não sabiam de que forma se podiam aquecer.

Os dias iam passando e tudo continuava na mesma. Até que um dos fósforos mais inteligentes, depois de ter pensado muito, descobriu uma solução e disse:

- Já sei! Descobri como livrar-nos do frio! O fogo! É dele que precisamos!

Os outros fósforos, muito espantados pela sua sabedoria, disseram:

- E como conseguiremos ter esse fogo de que nos falas?

Ele respondeu dizendo:

- Alguém terá de arriscar a sua vida, saindo daqui para o encontrar e trazer.

Todos os fósforos começaram a falar entre si. Sair da caixa era expor-se a uma morte certa. Estava tanto frio ali fora, que todo aquele que o tentasse morreria congelado.

Um pequeno fósforo apresentou-se como voluntário para ir buscar o fogo. Todos ficaram surpreendidos; aquilo era uma loucura. Muito decidido, subiu ao cimo da caixa e saiu dando um salto para fora, mas com tão pouca sorte, desequilibrou-se e caiu de cabeça. A sua cabeça, ao tocar no chão, incendiou-se e começou a arder.

O pequeno fósforo estava espantado. Não podia acreditar, o fogo estava nele. Da parte de fora começou a gritar aos outros fósforos, dizendo que o fogo se encontrava adormecido dentro deles. Só tinham que sair da caixa e saltar de cabeça.

Ao princípio não acreditaram, mas quando espreitaram e o viram a arder, convenceram-se. Todos os fósforos arriscaram o salto e, ao cair, acenderam-se.

Desde então, não voltaram a passar mais frio; aquele fogo que tinham, nunca mais acabou. Se algum se apagava, bastava encostar-se a algum que estivesse aceso e voltava a recuperar o fogo.


Autor desconhecido

Sem comentários: